°°°°°°°°°°°minha3.jpg°°°°°°°°°°°° ImageChef Custom Images

domingo, 23 de junho de 2013

"...Que não seja imortal, posto que é chama...Mas que seja infinito enquanto dure."


Barrinhas e Divisórias


Meu imortal
(Evanescence)

Estou tão cansada de estar aqui
Reprimida por todos os meus medos infantis
E se você tiver que ir, eu desejo que você vá logo
Pois sua presença ainda permanece aqui
E isso não vai me deixar em paz
Essas feridas parecem não querer cicatrizar
Essa dor é muito real
Há simplesmente tantas coisas que o tempo não pode apagar
Quando você chorou eu enxuguei todas as suas lágrimas
Quando você gritou eu lutei contra todos os seus medos
Eu segurei a sua mão por todos esses anos
Mas você ainda tem tudo de mim
Você costumava me cativar pela sua luz ressonante
Agora eu estou limitada pela vida que você deixou para trás
Seu rosto assombra meus únicos sonhos agradáveis
Sua voz expulsou toda a sanidade em mim
Essas feridas parecem não querer cicatrizar
Essa dor é muito real
Há simplesmente tantas coisas que o tempo não pode apagar
Quando você chorou eu enxuguei todas as suas lágrimas
Quando você gritou eu lutei contra todos os seus medos
Eu segurei a sua mão por todos esses anos
Mas você ainda tem tudo de mim
Eu tentei tanto dizer a mim mesma que você se foi
Mas embora você ainda esteja comigo
Eu tenho estado sozinha todo esse tempo.
 
Quando você chorou eu enxuguei todas as suas lágrimas
Quando você gritou eu lutei contra todos os seus medos
Eu segurei a sua mão por todos esses anos
Mas você ainda tem tudo de mim
Barrinhas e Divisórias


My Immortal
(Evanescence)

I'm so tired of being here
Suppressed by all my childish fears
And if you have to leave, I wish that you would just leave
'Cause your presence still lingers here
And it won't leave me alone
These wounds won't seem to heal
This pain is just too real
There's just too much that time cannot erase
When you cried I'd wipe away all of your tears
When you'd scream I'd fight away all of your fears
And I held your hand through all of these years
But you still have all of me
You used to captivate me by your resonating light
Now I'm bound by the life you've left behind
Your face it haunts my once pleasant dreams
Your voice it chased away all the sanity in me
These wounds won't seem to heal
This pain is just too real
There's just too much that time cannot erase
When you cried I'd wipe away all of your tears
When you'd scream I'd fight away all of your fears
And I held your hand through all of these years
But you still have all of me
I've tried so hard to tell myself that you're gone
But though you're still with me
I've been alone all along
When you cried I'd wipe away all of your tears
When you'd scream I'd fight away all of your fears
And I held your hand through all of these years
But you still have all of me

Barrinhas e Divisórias

"My Immortal" é uma canção da banda de rock americana Evanescence.
Foi lançada em 8 de dezembro de 2003 como o terceiro single do álbum Fallen.
A canção foi inteiramente escrita pelo ex-guitarrista da banda.

Barrinhas e Divisórias


Evanescence é uma banda americana de rock formada em 1995 na cidade de Little Rock
pela vocalista e pianista Amy Lee, e o guitarrista Ben Moody. Atualmente o grupo possui
 cinco integrantes, sendo que Moody não está mais envolvido.
O Evanescence era popular na região de Little Rock, se consolidando na cena musical
da cidade no final da década de 1990 com os EPs: Evanescence (1998) e Sound Asleep (1999), além do álbum demo Origin, gravado em 2000.4 5 Porém foi apenas com o álbum de 2003, Fallen, que a banda ganhou reconhecimento internacional e vendeu mais de 17 milhões de cópias em todo o mundo, recebendo sete vezes disco de platina pela RIAA nos Estados Unidos.6 O single "Bring Me to Life" permaneceu por semanas no topo das paradas musicais, tornando-se o maior sucesso da banda até então.7 Tamanho triunfo permitiu o grupo realizar diversas turnês ao redor do planeta nos anos posteriores, e gerou o lançamento do álbum ao vivo Anywhere but Home em 2004.
Em 24 de outubro de 2003, durante uma turnê europeia, Moody deixou a banda alegando
"diferenças criativas" com os outros membros,sendo substituído por Terry Balsamo
que contribuiu com o Evanescence a partir do álbum The Open Door (2006).
O disco estreou em primeiro lugar da Billboard 200, e vendeu cerca de 6 milhões
de cópias em todo o mundo, além de gerar o single "Call Me When You're Sober"
que figurou em boas posições das paradas musicais

Estima-se que o Evanescence tenha vendido cerca de 25 milhões de cópias de CDs e DVDs
ao redor do mundo;sendo considerada uma das maiores bandas de rock do século 21.


Barrinhas e Divisórias

http://www.dontstopthemusic.com.br/Musicas/Internacionais/Evanescence/My_immortal_MS.mid

Barrinhas e Divisórias
 
 
Soneto de Fidelidade
(Vinicius de Moraes)

De tudo ao meu amor serei atento
Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto
Que mesmo em face do maior encanto
Dele se encante mais meu pensamento.
Quero vivê-lo em cada vão momento
E em seu louvor hei de espalhar meu canto
E rir meu riso e derramar meu pranto
Ao seu pesar ou seu contentamento
E assim, quando mais tarde me procure
Quem sabe a morte, angústia de quem vive
Quem sabe a solidão, fim de quem ama
Eu possa me dizer do amor (que tive):
Que não seja imortal, posto que é chama
Mas que seja infinito enquanto dure.


Barrinhas e Divisórias



O Preço da Imortalidade
(lady Morphyna (* Lady M.)
 
Eu queria poder viver para sempre...
Não seguindo as regras do ciclo da vida.
Queria que ouvesse um modo diferente
Não importa quanto, eu pagaria a dívida...

Um preço alto pelo o que tanto espero...
Todo o meu esforço valeria a pena!
Eu faria o que fosse pelo o que eu quero
Minha própria alma eu botaria à venda

Vivo ansiosa à espera do toque eterno
Do dono das chaves da imortalidade
Quero me estender ao longo dos séculos
Nunca aparentando a verdadeira idade

Uma eterna criatura de rara beleza
Guardaria comigo uma dor sepulcral
De ter amado um alguém que, então com certeza,
Seria para todo sempre meu amor imortal.

Longe do sol e de todos os que amo
Quero viver uma eternidade real
Igual nas ficções que tanto me encantam,
Quero saciar minha sede do líquido vital.

Ser amiga do terror e irmã do medo
Sem transparecer minha natureza assassina
A pálida criatura sempre vestida de preto
Quero ter inveja de algum suicida

Enquanto muitos repulsam essa vontade sombria
Eu sinto um chamar familiar, na verdade
Quero estar entre as poucas almas escolhidas
A pagar o preço da imortalidade.

Aceito as algemas da perpétua solidão
Aceito ser uma eterna criatura maldita
A vagar pra sempre na escuridão
Pago o preço que for pra ser uma vampira.

Barrinhas e Divisórias


AMOR QUE MORRE
(Florbela Espanca)

O nosso amor morreu... Quem o diria!
Quem o pensara mesmo ao ver-me tonta,
Ceguinha de te ver, sem ver a conta,
Do tempo que passava, que fugia!
Bem estava a sentir que ele morria...
E outro clarão, ao longe já desponta!
Um engano que morreu...e logo aponta.
A luz doutra miragem fugidia...
Eu bem sei, meu amor, que pra viver
São precisos amores, pra morrer,
E são precisos sonhos para partir.
Eu bem sei, meu amor, que era preciso
fazer do amor que parte o claro riso
De outro amor impossível que há-de vir.

Barrinhas e Divisórias


Amor Imortal
(Rennê Câmara Barros)
 
Você me lançou
aquele seu olhar,
aquele seu sorriso tímido...
Lançou-me seus encantos...
Foi assim que te conheci.
Meu corpo e minha alma foram tomados
por uma luz, uma alegria,
uma emoção que não entendi.
Não conseguia explicar aquilo!
Tentei lutar contra o que me dominava,
mas a nós mesmos não se pode enganar.
E era forte! Forte demais para se coisa passageira.
O que seria? Amos à primeira vista?
Eu não queria acreditar...
Com esse seu jeito meigo, doce,
meio menina, meio mulher
tu foste conquistando meu coração
ainda cheio de cicatrizes e feridas
e tu foste minha cura.
Algo nos unia,
como se já nos conhecêssemos de outras vidas...
Nesse mar de desenganos,
foste meu porto, meu cais.
um ombro amigo que me entendia,
o escudo que me defendia,
para me levantar,
a mão que se estendia.
Tu forjaste em mim
um ser melhor.
No lugar de desabafos e lágrimas,
que pareciam não cessar,
colocaste sorrisos em minha boca.
No lugar de toda mágoa do passado, toda dor,
me ensinaste o que é o amor.

Você foi a voz que me corrigia,
mas também a voz que calava
no silêncio de um beijo.
Você foi os abraços que me vestiam,
a paz em meio a tantas tempestades,
a força que destruiu as fortalezas que a solidão criou dentro de mim,
a força que me reergueu das ruínas de um coração...
Você foi o Sol a transpor as nuvens,
a guiar meus passos nessa escuridão.
E eu fui sem medo,
rendi-me a esse devaneio, a esse prazer chamado amor...
Que não se escolhe, acontece.
Que vem assim, sem avisar, de repente.
Não dá pra resistir.
Que vem quando a gente mais precisa,
feito um anjo, um presente.
Esse sentimento sublime
que vai além da compreensão do mundo e seus mortais,
que é puro, forte e verdadeiro.
Que vai além da distância, da imensidão.
Esse sentimento que não cabe em infinitas palavras,
em infinitos versos...
Esse sentimento sem explicação.
Um amor
capaz de vencer qualquer barreira,
capaz de vencer o tempo implacável.
Que ultrapassa
os limites da vida,
acima do bem e do mal.
Um Amor Imortal...
 
Barrinhas e Divisórias
 
Barrinhas e Divisórias

Nenhum comentário:

Postar um comentário